Comunicação
Notícias
Clipping
Periódicos
Informa
Boletim
Programa Outras Palavras
Outras Palavras
O Equilibrista
Cartilhas
Publicações
Artigos
DIÁRIO DE ACAMPAMENTO
Documentação Técnica
Resoluções
Orientações
Instruções
Comunicados
Informes
Legislação Nacional
Legislação Estadual
Plano de Carreira
Tabela Salarial
Especiais
Campanhas Salariais
Aposentados
Redes Municipais
JURÍDICO - Ações judiciais/editais
Links
Material de Divulgação Pesquisa Sindute
Pensar a Educação Pensar o Brasil
Redes Sociais
10º Congresso do Sind-UTE/MG
Biblioteca
Blogs
CAMPANHA SALARIAL EDUCACIONAL 2015
EDITAL DE CONVOCAÇÃO - Subsedes
GREVE 2014
GREVE SREs e ÓRGÃO CENTRAL NA MÍDIA
LEI 100
VII CONFERÊNCIA ESTADUAL
FICHA DE FILIAÇÃO
Concurso
Vagas Rede Estadual
Decretos
1/3 Hora Atividade
Revista do Brasil
Carta Maior
Greve em Ibirité continua por tempo indeterminado

Trabalhadores e trabalhadoras em Educação da rede municipal de Ibirité promovem assembléia na próxima quarta-feira, 4/5, às 8 horas, em frente à Prefeitura para discutir os rumos do movimento de greve em vigor desde o dia 25/4 último.

Aproximadamente 70% dos trabalhadores das 27 escolas de Ibirité aderiram à greve. A categoria aguarda um posicionamento da Prefeitura em relação às reivindicações apresentadas até o dia 4/5, após a Assembléia. Caso não haja resposta, a paralisação por tempo indeterminado será mantida.  

A mobilização acontece em função da ausência de diálogo da Prefeitura com a categoria, já que até o momento a administração municipal não respondeu a nenhum dos itens da pauta de reivindicações, protocolada e entregue ao Governo no dia 31 de janeiro deste ano.

As principais exigências dos trabalhadores em educação dizem respeito à imediata implantação do Piso Salarial Nacional de R$ 1,597,87 e apoio da administração na realização de conferências municipais de Educação.

Além disso, a categoria reivindica reajuste salarial e redução da jornada de trabalho dos auxiliares de Serviços Gerais, que recebem remuneração de um salário mínimo para uma jornada de 40 horas, enquanto em outros municípios da Região Metropolitana o valor pago é de R$ 698,00 para 30 horas trabalhadas.

De acordo com diretor do Sind-UTE/Ibirité, Edison Luis de Oliveira, a ausência do diálogo é o principal entrave na negociação entre os trabalhadores e o Governo. “A Prefeitura se recusa a negociar conosco, o que é um absurdo, pois estamos lutando, não só pela categoria, mas também por uma educação de qualidade em nosso município”.

Insatisfação geral
O problema flagrante em Ibirité e que se traduz em descontentamento do trabalhador em educação refere-se às péssimas condições de trabalho. Há também grande insatisfação face ao não posicionamento oficial do Governo Estadual sobre a regulamentação do Piso Salarial Nacional, ratificado em decisão favorável do Supremo Tribunal Federal (STF), em audiência realizada dia 6/4, em Brasília.  

Sind-UTE/MG – assessoria: Eficaz Comunicação: 3047-6122 e 9968-0671


Pesquisa Sind-UTE/MG

Rua Ipiranga, 80 - Floresta - BH - MG - CEP: 30.015-180 - Tel(31) 3481-2020 - Fax(31) 3481-2449